Evaldo Cristiano Garcia e o Projeto com os Catadores Individuais

Evaldo Cristiano Garcia e o Projeto com os Catadores Individuais


Evaldo Catador nasceu na periferia da cidade de Lavras, no estado de Minas Gerais em 24 de maio de 1977. Filho de dona Glória Cristiano Galdino, o empreendedor social nasceu no seio da pobreza até se tornar um exemplo de superação.

 

 

De acordo com o catador, não contou com a presença paterna, sendo sua mãe seu modelo educador. Também considera muito Antônio Carlos Galdino, padrasto que o acolheu e a quem ama e admira. Residiu na zona rural da cidade, na comunidade de Tabuões, dos seis aos dezenove anos. Ainda criança começou a trabalhar na roça semeando e cultivando a terra, além dos demais serviços pesados da lida rural.

 

 

Foi em Tabuões que iniciou os estudos, interrompidos precocemente pela necessidade, cada vez maior, de trabalhar pela própria sobrevivência e também para ajudar a família. Enfrentou períodos difíceis, trabalhou como servente de pedreiro, sitiante, vendedor ambulante, marceneiro, vigilante na Universidade Federal de Lavras – UFLA e passou por momentos alternados de desemprego. 

 

 

Em 2007, conhece a ACAMAR - Associação de Catadores de Materiais Recicláveis da cidade de Lavras, onde atuou por 14 anos. Em 2012, familiariza-se com o Projeto Novo Ciclo, através do INSEA, e o Movimento Nacional dos Catadores de Materiais Recicláveis. Nessa ocasião, Evaldo passa a atuar nesse projeto e, também na ACAMAR. Assim, começou a levar seu conhecimento prático para as cooperativas e associações de catadores no Sul e Sudoeste de Minas. 

 

 

Em 2016 assume a presidência da ACAMAR. De acordo com o catador sob sua liderança e ação positiva, viveu um momento áureo dando continuidade ao trabalho de destinação correta de resíduos sólidos e a qualidade de vida dos moradores da cidade de Lavras e região. Aos poucos foi angariando respaldo popular e o restauro financeiro da entidade, que no início de sua gestão acumulava uma dívida de R$ 168 mil.

 

 

Conseguiu sanear financeiramente a ACAMAR, consolidou sua liderança responsável junto à categoria, deixando a entidade com saldo de R$ 25 mil em capital de giro. O que gerou autonomia do grupo, que passou a ser autogestor do empreendimento. Em 2019 deixa a ACAMAR e passa a focar seu trabalho em prol dos catadores individuais. 

 

 

Evaldo conta que todas essas experiências o estimularam a planejar a criação de uma empresa ligada ao empreendedorismo social e ao cuidado com o meio ambiente. Foi em 2019 que nasceu a E-Sustentável que, atualmente, recebe em seu galpão o material reciclável de vinte famílias de catadores individuais na cidade de Lavras, além de catorze famílias da cidade de Perdões que ainda trabalham em lixão a céu aberto.

 

 

Evaldo Catador, considerado inovador em suas ações tanto relacionadas ao meio ambiente ou estudantil, é também o idealizador do projeto Balança Volante e, por meio de palestras, oficinas, interação com pessoas e órgãos ligados ao empreendedorismo e gestão socioeconômica, vem disseminando suas ideias, palestrando sobre sua história de vida, seu trabalho e sua luta ambiental. Muitas pessoas colaboram e repassam pelas redes sociais seus depoimentos, experiências e escritos que, inclusive, se tornaram tema de um livro em cores biográficas organizado pelos jornalistas e editores Osmir Camilo Gomes e Wagner Vieira, membros da ONG Lesma (Liga Ecológica Santa Matilde), de Conselheiro Lafaiete. 

 

 

Evaldo Garcia é casado desde 2000, com sua esposa Eliane Maria de Oliveira Garcia e tem duas filhas: Míriam e Maira. Sua vida é uma lição de humildade, fé, superação, consciência social, ecológica e inteligência distributiva.

 

 

O legado do Projeto com Catadores Individuais

 

 

O Projeto surgiu em 2017 quando Evaldo ainda trabalhava numa associação de catadores de material reciclável em Lavras, Minas Gerais. O catador relata que nesse período chegou a trabalhar em outro denominado Danone da França juntamente com a Danone Brasil ligado ao movimento nacional dos catadores na construção de uma rede de comercialização de material reciclável chamada Rede Sul Sudoeste do Estado de Minas.

 

 

Ele conta que acabou se identificando com o processo do empreendedorismo social. E foi com essa experiência que surgiu a ideia da "E-Sustentável" no modelo de empresa social (CNPJ/MEI).

 

 

O objetivo da empresa é o de implantar a coleta seletiva em condomínios verticais e de dar apoio para os catadores de rua no intuito de construir uma ponte para desenvolver orientação, capacitação, treinamento e comercialização desse material. A ideia é colaborar para agregar valor à coleta construindo e aplicando práticas vivenciadas no empreendedorismo social.

 

 

No ano de 2019, Evaldo troca  o carro da família em uma Kombi no intuito de realizar um sonho maior. E de maneira estruturada aluga um galpão para dar início aos trabalhos. Em setembro desse mesmo ano, a Kombi apresenta um problema e o catador se vê investindo sua reserva do que restou da troca do carro.

 

 

Essa situação ainda tem dificultado até os dias de hoje, agosto de 2020, o trabalho de conexão com os catadores. Afinal, o catador que trabalha na rua, cata e vende os materiais diariamente, recebe dinheiro imediato. Se o Galpão do E-sustentável não possui condições em caixa para efetuar essas compras, isso limita totalmente sua atuação.

 

 

Entretanto, como a ideia é colaborar para agregar valor aos materiais recicláveis coletados pelos catadores de rua e consequentemente na renda, Evaldo teve a ideia de desenvolver parcerias como a da própria rede de cooperativas de catadores. Ele conta que na verdade e na maioria das vezes, esses indivíduos organizados em cooperativas e a associações não querem ou têm dificuldade de apoiar os catadores individuais e, por outro lado, os individuais não querem obrigatoriamente trabalhar em grupo.

 

 

Essa é a ideia do projeto de Evaldo. Atuar nesse dilema e construir a oportunidade de desenvolver com os catadores individuais, caminhos para pensarem a organização da vida de cada um, para que possam se profissionalizar e trabalhar com mais segurança, tornarem-se micro empreendedores e garantir direitos previdenciários, por exemplo.

 

 

“Estamos falando de um grupo que em sua maioria não tem renda suficiente nem para pagar seu INSS, não possui conhecimento sobre educação financeira e também necessita de processos de formação, e nesse processo nós estamos criando outro elo produtivo para reduzir a exploração e criar uma conexão entre parceiros e não mais apenas reproduzir essa relação fornecedor-comprador”, afirma Evaldo Garcia que continua dizendo que para crescer precisam ampliar a escala e capacidade produtiva do galpão.

 

 

Entretanto, em 2020 a pandemia de covid-19 colaborou para a desestruturação desse sonho, já que as atividades foram interrompidas e a única instalação da cidade de Lavras, que dava apoio e suporte a catadores não organizados foi fechada.

 

 

“Estávamos desenvolvendo atividades junto a trinta catadores e seis deles estão localizados em cidades vizinhas onde a renda e a capacidade de organização produtiva é limitada. Para atender tais catadores no interior, arrumei um parceiro que emprestou um caminhão pra que eu pudesse realizar a retirada e a compra desses materiais que os catadores coletavam no trabalho em um lixão a céu aberto, uma triste realidade que estávamos tentando alterar”, desabafa Evaldo. 

A ideia é criar uma base de apoio para esse grupo de 14 famílias que trabalham no lixão juntamente com  os outros 24 catadores que atuam na cidade de Lavras. O maior desejo de Evaldo é conseguir parceiros e apoiadores para fortalecer essa ideia e, em um futuro próximo, expandir para outras regiões transformando a vida de outras pessoas.

 

 

Um dos parceiros do Galpão E-Sustentável é o Departamento de Física da Universidade Federal de Lavras e essa parceria tem como objetivo principal o de planejar o primeiro Centro latino-americano de investigação científica para novas tecnologias a favor do meio ambiente e apoio aos catadores de material recicláveis em Lavras no Estado de Minas Gerais. 

 

 

Este centro visa atrair catadores e estudantes universitários de diversas áreas da engenharia e das ciências sociais aplicadas com o objetivo de unir práticas, técnicas e sinergias de todas essas pessoas para processar a matéria-prima abstraída do lixo reciclável. Ainda de acordo com o catador, incluir os orgânicos com o objetivo de aumentar o valor agregado, o que vai melhorar a renda desses trabalhadores e favorecer o meio ambiente e a educação.

 

 

Por causa do problema na Kombi que travou o motor, há dificuldade de continuar o que já estava sendo feito. A Kombi servia como equipamento principal da atividade usada para fazer a retirada e compra dos materiais que é de suma importância, principalmente, nesse momento de pandemia.

 

 

“Considerando esse contexto atual, a ideia é voltar com as atividades no galpão e dar continuidade ao projeto que é o meu sonho pessoal e ir além com esse processo, levando a nossa mensagem para as escolas, para as universidades e para as empresas. A minha história foi publicada em um capítulo de  livro de educação da Espanha e aqui conto mais um pouco desse projeto e do meu sonho em poder reciclar mentes, não só no processo da reciclagem, mas também para poder levar isso para os catadores de rua, para a sociedade e para as empresas. Através disso quero impactar de maneira socioambiental dentro do empreendedorismo social. Hoje só tenho vontade de fazer a Kombi funcionar e com fé e esperança fazer com que as pessoas possam acreditar na minha ideia e ser apoiado nessa iniciativa”,  conclui.

 

 

**Esse texto foi editado com base nos dados enviados por Evaldo, pesquisas e além de suas importantes falas.

 

 

...

 

 

O conceito de Evaldo a respeito das possibilidades tem como foco o acolhimento aos catadores e a partilha de conhecimento. Nesse Blog é o que tentamos fazer. A partir de um empreendimento com fins lucrativos extrair diálogos que motivem e que possam servir de apoio para quem quer ir além do pensamento e evoluir a partir de atitudes aplicadas de maneira prática. Pensemos agora em algo do tamanho do sonho de Evaldo que quer através do empreendedorismo social, possibilitar ao indivíduo o seu direito de seguir consigo mesmo de maneira autônoma. Refletindo essa história pensei nos meu sonhos, que tal rever os seus? Quer conhecer um pouco mais sobre a história e projetos de Evaldo? Siga-o no instagram, no IG @evaldogarciaoficial.

 

Ariane Galdino

Evaldo Cristiano Garcia, catador de recicláveis e empreendedor social. - 18/08/2020

Comentários


Sobre


Conheça um pouco mais da história da Cris Joias e do nosso Blog Há 27 anos no mercado, a Cris Joias solidificou uma trajetória de empreendedorismo e referência na venda de joias, relógios e semi-joias e mais do que isso, na maneira como oferece experi&e...
Continuar lendo

Redes Sociais


Arquivos do Blog


2022
2021
2020
2019